quinta-feira, 9 de julho de 2015

Projeto: Lendo os Abandonados - Resenha: PUROS de Julianna Baggott

Olha, eu sofri para terminar este livro.
Bom dia para todo mundo que sofre com alguma leitura que você começa e já percebe que não é muito sua praia. No meu caso foi PUROS da Julianna Baggott, eu fui burro por ver spoiler sobre ele, e isso me desmotivou de um ponto que o livro ficou lá nos confins da minha estante.

Ano passado eu comecei um projeto ( vejam aqui do que eu estou falando ) que se resume em ler os livros que você abandonou. Comecei o projeto por Puros e hoje vocês verão a minha resenha sobre o livro e todas as minhas opiniões que de um certo ponto foram positivas.




Título: Puros
Autora: Julianna Baggott
EditoraIntrínseca
Páginas: 368
Edição2012
Classificação: 3/5

Sinopse: Pressia pouco se lembra das Explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma antiga barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido — como um mundo com parques incríveis, cinemas, festas de aniversário, pais e mães foi reduzido a somente cinzas e poeira, cicatrizes, queimaduras, corpos mutilados e fundidos. Agora, em uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos, Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança. Sua única saída é fugir. Houve, porém, quem escapasse ileso do Apocalipse. Esses são os Puros, mantidos a salvo das cinzas pelo Domo, que protege seus corpos saudáveis e superiores. Partridge é um desses privilegiados, mas não se sente assim. Filho de um dos homens mais influentes do Domo, ele, assim como Pressia, pensa nas perdas. Talvez porque sua própria família se desfez: o pai é emocionalmente distante, o irmão cometeu o suicídio e a mãe não conseguiu chegar ao abrigo do Domo. Ou talvez seja a claustrofobia, a sensação de que o Domo se transformou em uma prisão de regras extremamente rígidas. Quando uma frase dita sem querer dá a entender que sua mãe pode estar viva, ele arrisca tudo e sai à sua procura. Dois universos opostos se chocam quando Pressia e Partridge se encontram. Porém, eles logo percebem que para alcançarem o que desejam — e continuar vivos — precisarão unir suas forças.

Resenha:

Nesta obra vemos nosso planeta como um lugar sem vida, isso aconteceu depois de uma explosão que não só acabou com nossa flora e fauna, mas também fundiu as pessoas com objetos e seres vivos. Pressia que é nossa heroína nesta serie, era uma criança quando os fatos já falados aconteceram, era uma criança em um aeroporto que segurava sua boneca, mas com a explosão a boneca foi fundida em sua mão. Pressia não foi a única que isso aconteceu, pois todos que estavam fora do Domo foram fundidas com pássaros, crianças, com a própria terra entre muitos outros casos. O Domo e o lugar que os Puros vivem, são pessoas que estavam abrigadas no dia da explosão e não foram fundidas com nada.

Anos se passaram e o Domo não ajudou as pessoas que estavam fora dos seus muros, mas o jovem Partridge, que é um Puro está disposto a sair de um lugar seguro para poder encontrar sua mãe que não entrou com ele, seu irmão e seu pai para dentro do Domo. Partridge arquiteta um plano para fugir, envolvendo pessoas inocentes que depois sofrem nas mãos do pai dele que por acaso é como o presidente do Domo

O destino faz com que Pressia e Partridge se encontrem depois de um fato banal para os tempos narrados no livro ( heheheh ). Pressia decide ajudar Partridge em sua jornada para encontrar sua mãe, que pode ser que nem esteja viva depois destes longos anos. Nossa heroína então recorre a ajuda de Bradwell que é um amigo dela, ele vira uma peça importante para a missão. Bradwell para mim é o melhor personagem da trama, pois é um sobrevivente com experiência e sabedoria de um grande líder, no começo ele não é tão agradável mas aos poucos vamos percebendo ele virar uma pessoa que muitos poderão amar.

O livro se resume a isso, os três tentando encontrar a mãe de Partridge, mas sofrendo com muitos obstáculos pela frete, pois o Domo não quer que isso aconteça e sem falar ainda dos monstros que são pessoas fundidas com X outras coisas.

A narrativa da autora é boa, pois ela consegue fazer com que nos tenhamos vontade de continuar a sua leitura para ver o final desta obre distópica e fantástica. 

Vocês devem então estar se perguntando porque eu não gostei do livro depois de ter só falado coisas boas sobre ele, simples e porque eu li um spoiler antes que chegar ao final do livro. MEU DEUS esse spoiler fez eu perder toda a vontade de continuar a leitura, não tinha mais graça depois disso. Não irei falar esse spoiler, pois vocês descobriram do que eu estou falando quando lerem o livro ( ehheheh ).

Esta foi a resenha de Puros que foi o primeiro livro finalizado deste projeto, daqui a alguns dias eu postarei qual vai ser o próximo livro do Lendo os Abandonados.

Fui 

Ps: Me sigam nas redes sociais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário